Skip to main content

População idosa aumenta demanda em asilos

Atuando em Montes Claros desde 1904, o Lar Betânia atende atualmente 109 idosos: 63 homens e 46 mulheres. A instituição possui toda uma infraestrutura para possibilitar que os internos tenham todo atendimento com melhor qualidade possível.

Um gabinete odontológico, consultório médico, sala de enfermagem, de terapia ocupacional, salão de fisioterapia, lavanderia, cozinha industrial, minipadaria, quiosques, capela, área de lazer coberta.

Nas últimas décadas, o Brasil tem registrado um aumento significativo no número de idosos de acordo com a Sinopse do Censo Demográfico de 2010, no Brasil são mais de 14 milhões de pessoas com mais de 65 anos. Segundo dados da Coordenadoria Municipal do Idoso de Montes Claros, a população idosa do município gira em torno de 33 mil pessoas, e muitas vezes familiares e amigos não estão preparados para lidar com essas pessoas.

Envelhecimento da população aumenta a demanda por vagas em asilos de Montes Claros

A grande maioria dos idosos são internados pela família, ou por pedido dos próprios internos. É o caso de Dona Terezinha de Jesus Fonseca, 82 anos. Ela é cadeirante, sempre foi muito independente e quando viu que estava dando muito trabalho para a família pediu para ser internada no asilo. Ela não sente vontade de ir embora, convive muito bem com os outros internos e funcionários.

Dona Terezinha nunca foi casada, tem 10 filhos de criação, recebe visitas frequentemente, inclusive familiares que vêm do estado do Paraná uma vez por ano visitá-la.

Valéria Francine Rodrigues, professora, 33 anos, está levando seu concunhado para passear, ele vai passar o dia com sua companheira de muitos anos. Juvenal Higino tem 82 anos e é a primeira vez que irá sair do lar desde que foi internado. Sua família o deixou no asilo por que ele estava muito adoentado e eles não tinham condições para tratá-lo.

O supervisor do Lar, Ênio Pereira de Sousa, explica que para ser internado o idoso tem que ter acima de 60 anos, a família preenche uma ficha de sindicância e aguarda uma visita dele juntamente com uma assistente social para saber das condições do idoso e se ele quer ser internado. Caso o idoso não tenha interesse de ir para o lar a ficha é imediatamente recusada, pois a internação não é feita sem o consentimento da pessoa.

Atualmente o lar recebe de três a quatro pedidos de internação todos os dias, e existe uma fila de espera com mais de 100 nomes esperando a análise, a capacidade máxima para abrigar os internos é de 150 pessoas.

A entidade oferece diversas atividades e tratamentos para os internos. São realizadas missas todas as quintas, terapia ocupacional nas segundas, quartas e sextas, fisioterapia todos os dias e toda última sexta-feira de cada mês é feita uma festa para os aniversariantes.

Segundo Ênio, cerca de 30% dos internos tomam remédios antidepressivos, e apenas três dos 109 não fazem uso de medicamentos regulamente. Dos 100 tipos de remédios que são utilizados apenas 35 são fornecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o restante são comprados ou doados pela comunidade. O Lar se mantém através de doações e caso os idosos recebam aposentadoria esse valor é repassado para a instituição para que possa a ajudar nas despesas.

O Lar Betânia recebe doações como alimentos, roupas, remédios. O interessado em ajudar pode entrar em contato através do telefone 3221-3070, caso haja necessidade a própria instituição manda um veículo em sua casa buscar a doação, ou deposite sua contribuição no Banco do Brasil, Agência 0104-X, conta corrente 4540-3, em nome do Asilo São Vicente de Paulo.

Fonte: Jornal Gazeta Norte Mineira