Skip to main content

Semana Nacional do idoso movimenta a Praça Doutor Carlos

Na manhã dessa quarta- feira (28), a Praça Doutor Carlos, no hipercentro de Montes Claros, ficou ainda mais movimentada com ações integradas à Semana Nacional do Idoso.

Quem passou pela praça pode conferir os serviços nas áreas da saúde, fisioterapia, beleza do cabelo, orientação jurídica, oficinas e limpeza de pele, tudo de graça para os idosos.

Antônia Soares da Silva, de 68 anos, descobriu que tem diabetes há três anos e, segundo ela, segue rigorosamente uma dieta e faz o controle diário. A aposentada aproveitou o espaço para medir a glicose.

“Eu acho que estas ações deveriam ocorrer mais vezes na cidade, porque é uma oportunidade a mais para cuidarmos da nossa saúde” – comenta.

Para a presidente do Conselho Municipal do Idoso, Ana Maria Neta vivenciar esta comemoração do Dia do Idoso é muito importante para compreendermos que ações como estas podem de alguma forma ajudar as pessoas acima de 60 anos, que muitas vezes nem sabem sequer os seus reais direitos como cidadãos e o seu papel na sociedade.

“Nós precisamos despertar neles a alegria e de se assumir como idoso” – observa Ana Maria.

MOBILIZAÇÕES NECESSÁRIAS
A população idosa de Montes Claros, segundo o conselho, chega a 40 mil idosos, mas para a presidente a política voltada para essas pessoas segue em ritmo muito lento e várias conquistas são adiadas.

“Por isso temos que fazer mobilizações como esta, para mostrar de que forma o município pode apoiá-las, desde a assistência a saúde até questões jurídicas.”

Divino Soares Cardoso, de 69 anos, concorda em bom e alto som que estas atividades precisam aumentar na cidade. “Temos uma população idosa cada vez mais crescente e precisamos do apoio dos órgãos competentes. Enfrentamos muitas dificuldades e burocracia para termos os nossos direitos respeitados em qualquer lugar que vamos, e isso não pode ficar assim, porque as crianças e os jovens de hoje serão os idosos de amanhã. Se o respeito não ocorre agora, o mais rápido possível, vamos ter mais problemas futuros” – diz.

INCLUSÃO
Uma das intervenções atuais do conselho é sobre a interpretação da lei do direito de gratuidade nas passagens de ônibus intermunicipais.

“No Estatuto do Idoso, no artigo 40, está escrito que toda pessoa idosa, a partir dos 60 anos, com até dois salários mínimos, tem o direito à gratuidade, mas atendemos casos de que este direito não foi respeitado, e uma das repostas dadas aos idosos que solicitaram o serviço é a de que, no dia em que iriam viajar, só havia o ônibus executivo na empresa, e que o beneficio só é assegurado em ônibus convencional. Isso não está no Estatuto do Idoso e não é inclusão. Contra essa e outras irregularidades é que estamos empenhados em lutar cada vez com mais disposição para que a lei seja cumprida” – encerra a presidente do Conselho Municipal do Idoso.

Fonte: O Norte