Skip to main content

Blitz constata vagas de idosos ocupadas indevidamente

A blitz realizada ontem de manhã pela Empresa Municipal de Trânsito e Transportes para fiscalizar as vagas de estacionamentos destinadas aos deficientes e idosos acabou flagrando algumas infrações como na avenida Coronel Prates, na área central da cidade. O conselheiro municipal do Deficiente, Marcus Antônio Lopes Ferreira chamou a imprensa para acompanhá-lo, quando encontrou as duas vagas ocupadas por carros sem estar credenciados. Ele acionou os guardas de trânsito, que depois de tentarem contato com os donos dos carros, aplicaram a multa de R$ 297,00 e ainda sete pontos na carteira para os infratores. A multa antes era de R$ 53,00 e agora foi ampliada, pois se tornou gravíssima.

A MCTrans, através da Divisão de Educação para o Trânsito, decidiu realizar a Campanha “Respeitar é Viver”, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de respeitar as vagas de transito destinadas às pessoas portadoras de deficiente e aos idosos. Para isso, foi criado um panfleto pedindo respeito à lei. O presidente da MCTrans, José Wilson Guimarães, salienta que Montes Claros tem aproximadamente 600 vagas no estacionamento público rotativo, sendo que pela lei, 5% deveriam ser destinadas a idosos e 2% a deficientes. Porém, Montes Claros oferece 44 vagas para idosos e 33 para deficientes. Ele quer ampliar essa quantidade e escolher uma localização próxima de pontos visitados por esses segmentos sociais, como hospitais.

O conselheiro municipal do Deficiente, Marcus Antônio Lopes Ferreira, mostra que a realidade é cruel para os portadores, pois a Prefeitura extinguiu ou transferiu várias vagas, para serem criados espaços para táxis e mototaxis e, com isso, prejudicou os deficientes. Cita três vagas que existiam na avenida Coronel Prates, em frente a Santa Casa e outra na rua Irmã Beata e Coronel Antônio dos Anjos e que foram repassadas a pontos de táxis, inclusive de serviços clandestinos; ou então colocadas mais longe. Ele participou da blitz ontem de manhã para apoiar a campanha, pois acredita que a nova diretoria da MCTrans dará prioridade aos deficientes e idosos.

O motorista Marco Aurélio Braz, ao ser abordado na blitz, parabenizou quem teve a iniciativa de abrir essa campanha, pois afirma que existe um traço cultural de sempre desrespeitar as leis. Somente através da educação é que se pode mudar esse cenário. O motoqueiro João Santos entende que depois de conscientizar, a MCTrans tem de agir com rigor, com multas, pois o brasileiro tem o coração no bolso e, quando pagar a primeira multa, passará a respeitar a lei de trânsito.

Fonte: Gazeta Norte Mineira