Skip to main content

Violência contra idosos

As denúncias de agressões ou qualquer outro tipo de violência contra idosos podem ser feitas pelo Disque 100. A ligação é de graça

A cada hora milhares de idosos sofrem algum tipo de violência no país. Em Montes Claros, uma idosa, de 81 anos, foi a óbito no último dia 13 após permanecer internada por cinco dias por causa de agressões sofridas durante um assalto à sua residência. Há ainda a suspeita de que ela tenha sofrido abuso sexual.

– A violência tem diversas formas: além da tradicional, com socos e empurrões, a agressão psicológica gerada pelo abandono também pode causar grandes traumas para população da melhor idade – afirma a psicóloga Priscila Furtado.

Segundo ela, as agressões são as mais diversas e que a violência psicológica consiste em agressões verbais ou gestos que afetam a autoestima, a autoimagem, a identidade ou aterrorizam o idoso.

AMEAÇAS E INSULTOS
Ameaças e insultos fazem parte desse critério. Em alguns casos, quando a família não pode ou não quer ter um cuidado diário com o idoso, ele é mandado para um asilo ou casa de repouso. Mas, mesmo com a visita dos filhos, periodicamente, a vontade deles era de estar em casa.

– O ideal é que os idosos ficassem com a família. A família que abandona um idoso está cometendo uma violência – diz a psicóloga.

Essa preocupação não faz parte da vida de dona Maria Carneiro da Luz. Na sua rotina, a idosa, de 79 anos, não sofre qualquer tipo de agressão, maus-tratos ou xingamentos. As filhas dela também não optaram que ela fosse para um asilo e se revezam para cuidar da mãe.

– A opção para não envelhecer é morrer antes. Quem chega até a minha idade, ou mais anos, deve dar graças a Deus, especialmente se estiver com saúde. E, naturalmente, agradecer aos parentes que não nos abandonam. O amor dos filhos, da família, ajuda a gente a viver mais e com mais saúde – comenta dona Maria.

OBRIGAÇÃO
Para Marlene Carneiro, filha de dona Maria, é obrigação dos filhos cuidarem dos pais.

– Os pais ajudam e são responsáveis na criação dos seus filhos e, em contrapartida, os filhos amparam seus pais na velhice. Nessa faixa etária, os idosos precisam de uma maior atenção tanto em casa quanto na rua, local em que estão sujeitos a golpes. Então, eles precisam de um pouco mais de atenção ao sair de casa – observa Marlene.

O pai do vendedor autônomo Ricardo Fulgêncio, sofreu um golpe de falsários enquanto trafegava no Centro de Montes Claros. O aposentado foi convidado para responder a um falso questionário, que incluía informações sobre suas contas bancárias. O idoso entregou o seu cartão com a senha e só depois percebeu que tinha caído no golpe.

– São golpes simples. Esses bandidos se passam por vendedores, técnicos de energia, pedintes de água, o que para nós é uma coisa suspeito, mas para os idosos, não. Eles sentem uma carência por atenção e essas pessoas sabem disso, aproveitam e abusam da inocência deles – desabafa Ricardo.

VIOLÊNCIA FINANCEIRA
A violência financeira é outro crime do qual os idosos são vítimas. Ela é caracterizada pela exploração indevida da renda ou apropriação do patrimônio do idoso. O advogado Bruno Freitas confirma que obrigar a pessoa idosa a contrair empréstimos é uma forma de violência.

– O aumentado no número de casos que envolvem idosos nos últimos anos se deve ao acesso facilitado ao crédito pela população com idade superior a 60 anos. Segundo o Estatuto do Idoso, a apropriação ou o desvio de pensão ou outra forma de rendimento e bens do idoso pode gerar pena de reclusão de um até quatro anos, além de multa – afirma Bruno.

As denúncias de agressões ou qualquer outro tipo de violência contra idosos podem ser feitas pelo Disque 100. A ligação é de graça.

Fonte: onorte.net