Skip to main content

Comissão aprova obrigatoriedade de curso de extensão para idosos nas universidades

O vereador Ildeu Maia (PP) afirmou que se fazem necessárias mais políticas públicas eficazes, a fim de beneficiarem os idosos. Afirmou ainda que a longevidade deles [idosos] é algo que precisa ser observada e que a vida continua ativa, não é mais como no passado, quando eles deixavam de viver.

Maia disse que ficou feliz com a decisão da Comissão em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, que aprovou o projeto do Senado Federal que obriga as instituições de ensino superior a oferecerem cursos e programas de extensão às pessoas idosas (PL 6350/13).

De acordo com o parlamentar, esses cursos poderão ser presenciais ou a distância, constituídos por atividades formais e não formais. O vereador disse que acompanhou atentamente e o projeto acrescenta dispositivo ao Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03), que já prevê o apoio do poder público à criação de universidade aberta para as pessoas idosas.

Lembra o vereador que o estatuto também já determina o incentivo à publicação de livros e periódicos, de conteúdo e padrão editorial adequados ao idoso, que facilitem a leitura, considerando a natural redução da capacidade visual. O parlamentar disse que o projeto ainda acrescentou emenda que contempla a expressão “educação ao longo da vida”, por ser utilizada na literatura especializada e nas discussões sobre o incremento de oportunidades educacionais às pessoas idosas e aos demais cidadãos.

“A medida deve ser empreendida com prioridade, para assegurarmos às pessoas idosas o direito constitucional à educação, tanto com viés formal, voltado para o treinamento e desenvolvimento, quanto para outras finalidades, como a socioeducativa, de lazer e de estímulo às capacidades cognitivas”, afirmou.