Skip to main content

Polícia Militar faz campanha contra violência a idosos

A Polícia Militar realizou panfletagem pelas ruas centrais da cidade, no sábado de manhã, contra a violência a idosos em Montes Claros. O ato realizado na praça Doutor Carlos envolveu as Patrulhas de Prevenção a Violência Doméstica do 10º e 50º Batalhões de Montes Claros, quando procurou alertar os moradores para denunciar os casos de violência a esse segmento da sociedade. Os comandantes das patrulhas, sub-tenente Edilson Dias e Kleber Coelho, explicam que atualmente são registrados 120 casos de violência a idosos em Montes Claros, mas sabem que esse número é irreal, pois muitas famílias escondem os atos de violência para evitar a prisão dos culpados. Por isso, o pedido de ajuda para resolver o assunto.

As ações dos policiais na área central (Foto: Girleno Alencar)

As ações dos policiais na área central (Foto: Girleno Alencar)

Desde quinta-feira da semana passada que foram iniciadas em Montes Claros a Campanha de Enfrentamento à Violência Contra a Pessoa Idosa, sob responsabilidade da Coordenadoria Municipal do Idoso, em parceria com a Polícia Militar, Exército e o Conselho Municipal do Idoso. O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Aurindo Ribeiro, alerta para o problema e de que a violência contra os idosos precisa ser combatida nas suas mais diversas formas. Violência Contra a Pessoa Idosa. Até o dia 13 os trabalhos serão desenvolvidos nos Centros de Referência de Assistência Social e no dia 15, o grande ato na praça Doutor Carlos. Nos dias 20 e 21, serão realizadas palestras e seminários em parceria com a Polícia Militar nos bairros.

No panfleto distribuído na manhã de sábado, a Polícia Militar alerta aos moradores de que existem sete tipos de violência contra o idoso, como a física, onde ocorrem abusos, maus tratos e violência física; sexual, referindo-se ao ato ou jogo sexual de caráter homo ou heterorelacional; psicológica, com agressões verbais ou gestuais para aterrorizar os idosos; econômica/financeira, que explora imprópria ou ilegal, como nos casos dos empréstimos consignados sem consentimento.

Também o modo de violência de abandono, com ausência ou deserção dos familiares ou poder público para uma pessoa idosa que necessite de proteção. A negligência é outra situação, onde ocorre a recusa ou omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos. Por fim, a autonegligência, onde o próprio idoso ameaça sua saúde ou segurança, pela recusa de ter cuidado consigo mesmo.

As ações dos policiais na área central (Foto: Girleno Alencar)

Fonte: Gazeta Norte Mineira